Buscar

Drª Rosane Kolberg, dentista Invisalign Doctor Porto Alegre Rio Branco Ortodontista atende criança

Bruxismo e ranger dos dentes



Bruxismo é o ranger ou apertar dos dentes que pode ocorrer durante o sono ou em vigília e essas atividades são desencadeadas por alterações no sistema nervoso central.


Nos dois tipos de bruxismo, as causas envolvem aspectos genéticos e ambientais, e podem estar relacionados às condições sistêmicas (do organismo) e emocionais.


O bruxismo do sono (BS) na infância ocorre em 14% a 38% da população, a tendência é que essa frequência diminua com a idade. Ocorre em 3% dos adultos e 3% dos idosos acima de 50 anos. Já o bruxismo em vigília (BV) tem sua frequência maior em adultos do que em crianças.

No caso do BS, o passo mais importante para o diagnóstico é o relato das pessoas que moram com o paciente, escutar o ranger dos dentes. Já no BV, é necessário o relato do paciente de que fica com os dentes encostados ou apertados.


Os sinais clínicos do BS são a presença de desgaste dentário, fratura de restauração ou de dente e relatos de presença de sons de rangidos. No caso do BV, os pacientes podem apresentar a língua marcada pelos dentes e uma linha branca na parte interna da bochecha.

O bruxismo na infância e na adolescência, assim como na fase adulta pode ser entendido como um sinalizador de outra condição de saúde, visto que pode estar associado com diversas alterações como apneia( falta de ar) do sono.


As atividades musculares excessivas podem levar a uma sobrecarga na articulação temporomandibular (ATM), podendo ocasionar dores na face ou dores na cabeça.


O controle do bruxismo deve ser feito de forma interdisciplinar, com a identificação do fator causador, podendo envolver médicos e psicólogos.


Em relação às placas estabilizadoras, vale destacar que apesar dela ser bem indicada em casos específicos, não há necessidade do uso por todas as crianças que apresentam bruxismo do sono.


As evidências científicas atuais não suportam que o bruxismo esteja associado a fatores oclusais. Desgaste seletivo e tratamento ortodôntico não estão indicados nesses casos.

(Colaboração Drª Adriana Ortega)